quinta-feira, 27 de abril de 2017

Mais de 20 categorias do Executivo Federal em todo o Brasil já informaram participação na Greve Geral dessa sexta


BSPF     -     27/04/2017




A participação dos servidores federais será intensa na Greve Geral da classe trabalhadora que acontece nessa sexta-feira, 28, em todo o Brasil. Em prévia encaminhada pelas entidades filiadas à Confederação, assembleias determinaram a adesão de mais de 15 categorias do Executivo Federal na paralisação de atividades. Servidores dos ministérios da Saúde, Trabalho, Funasa, DNPM, Inmet, C&T, Transportes, Dnit, ANTT, Pesca, Anvisa, Incra, Ibama, Agricultura, SPU, Iphan, Cultura, Sudam, Funai, administrativos da AGU e Fazenda, empregados da Ebserh tanto em capitais como em diversas cidades do interior por todo o País estarão unidos a toda classe trabalhadora nesse dia de luta contra as reformas da Previdência, Trabalhista e contra a retirada de direitos. Vale destacar que a Greve Geral é legítima. O Ministério Público Federal publicou nota técnica em que considera o movimento legal já que estão sendo feridos direitos sociais da classe trabalhadora. Confira a nota.

Na adesão da Greve Geral estão também os jornalistas que no Distrito Federal e em outros estados aprovaram sua participação. A assessoria de imprensa da Confederação estará também nessa luta. Por isso, a cobertura completa, incluindo mapa da Greve Geral da base da Condsef/Fenadsef, será feita a partir do dia 2 de maio. Nas redes sociais a Condsef/Fenadsef fará algumas postagens para manter a categoria informada das principais movimentações e atividades de mobilização em Brasília e em outros pontos pelo Brasil ao longo do dia.

No ano marcado pelo centenário da primeira greve no Brasil, vamos todos juntos tornar esse dia 28 de abril um dia histórico, um marco na luta pelos direitos da classe trabalhadora. Juntos, trabalhadores do setor público, da iniciativa privada, do campo e da cidade vão mostrar a esse governo ilegítimo e sem voto que não se promove reformas e a retirada de direitos conquistados com muita luta sem a resistência daqueles que defendem um país desenvolvido e com justiça social.

É amanhã. Um dia de paralisação para evitar o retrocesso de toda uma vida. Juntos somos fortes. Nenhum direito a menos.

Fonte: Condsef/Fenadsef


Notícia Anterior
Próxima Notícia