quinta-feira, 9 de março de 2017

Deputado diz que não existe 'expectativa de direito' na aposentadoria de servidores


Agência Câmara Notícias     -     09/03/2017




O deputado Darcisio Perondi (PMDB-RS) disse que não existe "expectativa de direito" e, por isso, é correto mexer nas regras de aposentadoria dos servidores que já estão hoje no sistema.

Segundo ele, a reforma assegura o pagamento dos benefícios dos mais pobres no futuro. Para Perondi, os calculos do Sindifisco não incluem o deficit da previdência do serviço público, o que seria incorreto.

O deputado afirmou ainda que o dinheiro que é retirado da Seguridade Social pela Desvinculação das Receitas da União fica dentro do proprio Orçamento e ainda assim o governo precisa aumentar a sua dívida para pagar as contas. Portanto, continuaria sendo necessário reformar a Previdência Social.

Gastos caindo

Já o deputado Ivan Valente (PSOL-SP) disse que a quantidade de servidores públicos cresceu 8% entre 1991 e 2015, enquanto a população cresceu 39%. Já a participação dos gastos de servidores ativos e inativos na Receita Corrente Líquida passou de 54,5% em 1995 para 38% em 2015. Estes dados, segundo ele, mostrariam que os gastos com servidores vêm caindo.

Desoneração

Por sua vez, o deputado Bilac Pinto (PR-MG) disse que cada um deve dar a sua "cota de sacrifício" para o equilíbrio das contas. "Quem recebe mais tem que contribuir mais".

Segundo ele, o presidente Michel Temer foi corajoso ao propor a reforma, e a economia vem reagindo por causa de medidas como essa. O deputado sugeriu que seja revista a desoneração da contribuição de empresas sobre a folha de pagamentos.

A deputada Jandira Feghalli (PCdoB-RJ) disse que os servidores assinam um contrato com a União quando entram no serviço público e têm várias expectativas em relação a isso que deveriam ser respeitadas.

A Comissão Especial da Reforma da Previdência está discutindo hoje as novas regras de aposentadoria para servidores públicos previstas na proposta de emenda à Constituição (PEC) 287/16, do Executivo.


Notícia Anterior
Próxima Notícia